Contos Tenebrosos: o cartão de visita de 1 Giga

O cartão que demorou para fechar

Ainda como lembrança da época de política, lembro de uma vez que ocorreu uma coisa curiosa. Estavamos trabalhando com várias artes que tinham vindo prontas e precisamos fechar os arquivos para tirar fotolito e liberar para impressão.

Bem, estavamos fechando várias artes, fazendo os ajustes de sangria, cor, margens, etc. Eu peguei a pasta de um candidato que estava rodando várias coisas: cartaz, folheto A4, folheto A5, santinho, cartão de visita, adesivo, etc.

Fui abrindo as artes e fechando, peguei o cartão de visita, que estava no PageMaker e dei o comando para fechar o arquivo. E o computador pensou, pensou, pensou, pensou… fui beber água, naveguei na internet e o computador lá, fechando. Travou? Não. Estava indo, mas bem devagar… enfim, após uma longa espera, fechou o arquivo.

Joguei no programa de imposição que tinhamos, que era o Preps, outra demora, pensou, pensou, pensou, pensou… demorou um tempão e por fim fechou. Joguei no RIP, que era o computador para trabalhar com os arquivos fechados e gerar o fotolito e ele demorou uma eternidade para ler e por fim, travou.

Fui ver o tamanho do arquivo e uau! 1 Giga! Pra 1 cartão de visita? Que absurdo. Fui ver o arquivo, estava na medida certa. Porque estava demorando tanto daquele jeito?

Verifiquei então o arquivo fechado do cartão e ele estava gigantesco, acho que uns 700 mb. Mesmo que fosse pra 1 cartaz, era gigante. Abri então o arquivo do pagemaker: não tinha objetos soltos no arquivo, nem páginas a mais, estava correto. onde estava o erro?

Dai que eu fui perceber o que havia ocorrido. Acontece que quem havia montado a arte, tratou a foto do candidato para rodar o cartaz, no formato 50×70 cm. E o esperto fez o link da mesma imagem para todas as artes.

O resultado? A imagem do cartão que esvava apontando para o link da imagem de 50x70cm, mas havia sido reduzido para ficar do tamanho de uma foto 3×4. O resultado? A imagem estava com 5% do tamanho da foto original.

Ou seja… o pagemaker demorou todo aquele absurdo de tempo para fechar, o preps também e o rip travou. Para resolver o problema, fiz uma cópia da foto, abri no photoshop, diminui ele para ficar com 10cm de altura, o que já era mais do que o necessário para o tamanho que seria utilizado no cartão, linkei no pagemaker e fechei o arquivo novamente.

Dessa vez, tanto no pagemaker, quanto no preps quanto no rip, o arquivo trabalhou bem rápido, como deveria ser. Consegui fechar o arquivo tranquilamente.

E isso só serviu para reforçar a lição que eu já sabia: em se tratando de imagens para impressão em gráfica, você precisa apenas de 300 dpi no tamanho final em que vai ser impresso.

Deixe uma resposta